Advertisement
Advertisement
Advertisement

Roger Waters cita “má-fé” e se defende de acusações de incitação ao nazismo

29 maio, 2023
Roger Waters cita “má-fé” e se defende de acusações de incitação ao nazismo

Segundo  o site Wikimetal, Roger Waters emitiu um comunicado para se pronunciar sobre as acusações de incitação ao ódio que recebeu após seu show em Berlim, que levou até mesmo à abertura de uma investigação policial na Alemanha.

O ex-Pink Floyd levou sua turnê This Is Not a Drill para o país europeu depois de uma série de polêmicas que quase levaram ao cancelamento forçado da performance. No palco, Roger fez sua tradicional e provocativa apresentação, que inclui um trecho onde ele se veste como um soldado nazista em tom de crítica.

A mensagem não foi recebida da maneira correta por muita gente na internet, que acabou apontando uma atitude “vil” do músico de recriar cenas tão tristes no país que sofreu com o Holocausto, e a partir daí surgiram acusações de antissemitismo e incitação ao nazismo, o que levou à investigação.

Advertisement

 

Roger Waters se pronuncia sobre investigação da polícia alemã

Em seu perfil no Twitter, Roger Waters se pronunciou sobre a investigação e acusou as pessoas que o atacaram de estarem agindo em “má-fé” por conta de suas visões políticas:

Minha performance recente em Berlim atraiu ataques de má-fé daqueles que querem manchar e me silenciar porque discordam de minhas visões políticas e princípios morais.

Os elementos da minha performance que estão sendo questionados são bem claramente uma afirmação em oposição ao fascismo, injustiça e fanatismo de todas as formas. Tentativas de retratar esses elementos como algo diferente são hipócritas e motivadas por política. A retratação de um demagogo fascista sem limites está presente nos meus shows desde o ‘The Wall’, do Pink Floyd, em 1980.

Eu passei a minha vida inteira me pronunciando contra o autoritarismo e a opressão onde quer que eu os veja. Quando eu era criança depois da guerra, o nome de Anne Frank era falado sempre em nossa casa, ela se tornou um lembrete permanente do que acontece quando o fascismo não é combatido. Meus pais lutaram contra os nazistas na 2ª Guerra Mundial, com meu pai pagando o preço mais caro [da morte].

Independentemente das consequências dos ataques contra mim, eu irei continuar a condenar a injustiça e todos aqueles que a perpetrarem.

 

Neste caso, Waters provavelmente se refere às suas atitudes pró-Palestina, que também geraram polêmica no show em questão. Isso porque o músico exibiu em seu telão, em um momento do show que destaca vítimas de intolerância política, os nomes de Anne Frank e Shireen Abu Akleh, jornalista de origem palestina que foi morta por forças israelenses enquanto cobria a zona de conflito.

Fonte: Tenho Mais Discos Que Amigos – Felipe Ernani

Advertisement


NOTÍCIAS
RECEBA NOTÍCIAS DO MUNDO DO ROCK E PARTICIPE DOS NOSSOS CONCURSOS
Kiss FM 92.5

Avenida Paulista, 2200 - 15º andar - São Paulo/SP

atendimento@kissfm.com.br

WhatsApp do ouvinte: 11 99887.4343

Kiss FM