Advertisement
Advertisement
Advertisement

Morte de Bon Scott não foi surpresa, diz vocal original do AC/DC

11 dezembro, 2023
Morte de Bon Scott não foi surpresa, diz vocal original do AC/DC

Reprodução

 

O cantor original do AC/DC, Dave Evans, diz que não ficou surpreso ao saber da morte de Bon Scott após uma noite de bebedeira intensa. O relatório do legista determinou “envenenamento agudo por álcool” como a causa da morte de Bon, com o veredicto oficial sendo “morte por fatalidade”.

Advertisement

Segundo o site Rock Brigade, Dave gravou os dois primeiros singles do AC/DC, “Can I Sit Next To You Girl” e “Baby, Please Don’t Go”. Mas em outubro de 1974, menos de um ano após o primeiro show do AC/DC, Evans saiu da banda. Ele foi substituído por Scott, que cantou nos primeiros seis álbuns de estúdio do AC/DC e se tornou uma lenda após sua morte em 1980.

Evans falou sobre seu tempo no AC/DC em uma entrevista ao podcast Guarda Volume. Ao falar sobre como sua passagem pela banda terminou, Dave disse: “Nós éramos muito jovens – éramos todos muito, muito jovens. E nossas ambições eram eternas. Eu não pensei, ‘Ah, vou estar em uma banda.’ Não. Eu tinha toda a minha carreira, toda a minha vida para cantar. Eu tenho cantado desde que me lembro. Não vai parar por causa de uma banda da qual eu saí.”

“Eu estava em bandas antes do AC/DC, é claro. Estive com bandas antes do AC/DC. Eu saí. Velvet Underground [não é o grupo de Lou Reed], estive com eles e com o Rabbit. Nunca pensei em sair ou parar de cantar. Era apenas outra banda da qual eu fazia parte, mas uma banda muito bem-sucedida. Tivemos um lançamento de sucesso, ‘Can I Sit Next To You Girl’ foi nomeado como o melhor disco de grupo australiano daquele ano. Primeiro lugar. Ótimo. Fantástico. E ter uma banda jovem, primeiro disco, entre todas as outras bandas da Austrália, nomeado como o melhor disco de grupo australiano do ano. Isso foi fantástico. Mas houve diferentes razões pelas quais eu saí da banda, principalmente porque eu não estava recebendo dinheiro.”

 

Ele continuou: “O empresário era o terceiro naquela época. Não estávamos recebendo pagamento pelos shows, e estávamos fazendo os maiores shows na Austrália. A famosa Ópera de Sydney, Hordern Pavilion em Sydney, Festival Hall em Melbourne, todos os shows. Cadê o dinheiro? Nenhum dinheiro. Fizemos turnê com Lou Reed. Nós tocamos nos maiores locais, lotados – todos lotados. E quanto ao dinheiro? Nenhum dinheiro. Então, no final, eu não pude continuar com a banda, porque estava pagando meu carro em Sydney, pagando meu apartamento, e eu estava trabalhando duro. Então, tivemos uma reunião uma noite e tomamos algumas bebidas e o empresário estava lá. E ele estava ganhando dinheiro porque estava pegando dinheiro. O resto do dinheiro, não sei o que aconteceu com ele. Nós não tínhamos nenhum. Então, o empresário, com o cabelo todo encaracolado, novos jeans, calças boca de sino, maleta de couro, voando pelo país, e nós em caminhões. Ele tinha o dinheiro. Nós não tínhamos nada. Eu o confrontei. Todos nós estávamos reclamando sobre isso. E ele se levantou e falou comigo de forma insolente. Então eu me levantei e, bum, o derrubei. E os outros rapazes me seguraram e me tiraram de cima do empresário. Então, foi decidido que quando aquela turnê terminasse, isso precisava ser resolvido. Eu disse: ‘Se não estou recebendo dinheiro, não vou fazer outra turnê.’ Eu não sou estúpido. Então, no final da turnê, sem resolução. Eles não iriam me dar o que eu queria. Então, eu saí da banda. Eu não ia aceitar aquilo.”

Ainda falando sobre suas razões para sair do AC/DC, Evans disse: “É como qualquer emprego. Se você é carpinteiro ou professor ou algo assim, e eles não te pagam, o que você vai fazer? Como você vai alimentar seus filhos? Não tenho filhos, mas se você tivesse filhos, como os alimentaria? Como você pagaria seu carro? Você não pode. E você está trabalhando duro. [Os fundadores do AC/DC] Malcolm e Angus Young moravam na casa dos pais. Eles não precisavam pagar nada. Eu tinha. Eu tinha meu apartamento em Sydney, então eu tinha que pagar. Caso contrário, eu ia perder. Meu carro, eles viriam e levariam embora. Então não importava tanto para eles, mas importava para mim. E eu não ia aceitar aquilo. Então, eu me defendi.”

Sobre o icônico cantor que o substituiu, Dave disse: “Pobre Bon Scott. Ele entrou na banda e passou por muitas dificuldades também. E acabou morto. Ele estava trabalhando, trabalhando, trabalhando, trabalhando, trabalhando. E estava deprimido, triste. Parecia feliz, porque estava bêbado o tempo todo. Bon Scott bebia o tempo todo. Alcoólatra. Você vê fotografias de Bon Scott, ele sempre está com uma garrafa ou uma bebida o tempo todo. Triste. Mas isso o matou no final. Mas ele também estava passando por muitos problemas com a banda.”

“Eu falei com Bon Scott depois que ele entrou para o AC/DC. Tivemos uma conversa privada sobre coisas que vão permanecer privadas. E quando descobri o que aconteceu com Bon Scott, quando li sobre isso, e falei com a esposa dele também – vi a esposa dele, que me contou o que aconteceu e tudo mais – não fiquei surpreso. Eu não fiquei surpreso.”

 

Fonte: Rock Brigade

Advertisement


NOTÍCIAS
RECEBA NOTÍCIAS DO MUNDO DO ROCK E PARTICIPE DOS NOSSOS CONCURSOS
Kiss FM 92.5

Avenida Paulista, 2200 - 15º andar - São Paulo/SP

atendimento@kissfm.com.br

WhatsApp do ouvinte: 11 99887.4343

Kiss FM