Texto por Otávio Juliano – Instagram @showsbyotavio

Fotos por Rogério Talarico – Instagram @rogeriotalarico

Não foi a primeira vez desses talentosos finlandeses em São Paulo. Pelo contrário, o Apocalyptica tem em sua carreira algumas passagens pelo Brasil, sendo a mais recente no festival Summer Breeze Brasil, há menos de um ano, em abril de 2023.

Com cinco datas agendadas no país, a turnê “Cell-0 Tour”, que também passará por diversas cidades do México, chegou à capital paulista na última sexta-feira.

Criativos e revolucionários ao mesclar música erudita e Heavy Metal, os finlandeses deixaram uma importante marca no mercado fonográfico nos anos 90, com a chegada do primeiro álbum da banda, especialmente por trazer versões para canções do Metallica, um dos maiores nomes da música pesada no mundo.

“Plays Metallica by Four Cellos” (1996) é até hoje lembrado e festejado, tendo feito muito metaleiro apreciar um novo instrumento, além das tradicionais guitarras, baixo e bateria: o violoncelo! Eicca, Perttu e Paavo fizeram história e até hoje levam ao público shows marcantes e performáticos.

No repertório da apresentação de São Paulo, o Apocalyptica não se limitou a tocar apenas suas versões para composições do Metallica e do Sepultura, outro grande nome do Metal que foi homenageado no disco “Inquisition Symphony” (1998). Os finlandeses alternaram covers com canções autorais e para essa parte da turnê contaram com o vocalista mexicano Erick Canales, que apareceu no palco ainda no início, para cantar “I’m Not Jesus” e “Not Strong Enough”.

Eicca foi ao microfone para perguntar quem havia ouvido o álbum que dá nome à turnê, “Cell-0” (2020), o mais recente lançado pela banda, anunciando que seriam executadas canções do disco em sequência: a linda e cadenciada “Rise” e “En Route to Mayhem”. “Shadowmaker” foi então tocada e ao final o Apocalyptica inseriu um curto trecho de “Killing In The Name”, do Rage Against The Machine, levando a plateia a cantar.

Aliás, a participação dos presentes ao show se deu especialmente durante as músicas do Metallica. Ainda que o Apocalyptica não conte com apoio de vocalista em “Nothing Else Matters” e “Seek & Destroy”, os fãs cantaram trechos das canções. A primeira veio repleta de emoção, por ser uma das mais notórias baladas do Heavy Metal, enquanto que a segunda fez o público gritar o refrão a plenos pulmões.

Com pouco mais de uma hora de show, os músicos deixaram rapidamente o palco, para retornarem com mais duas canções autorais, fechando noventa minutos cravados de apresentação. Eicca ainda aproveitou para agradecer a presença de todos, confirmando que retornarão ao Brasil futuramente e que haverá um disco novo em 2024.

Mais cedo

Antes do Apocalyptica entrar em cena, a banda nacional Allen Key se apresentou, trazendo canções de seu álbum “The Last Rhino” (2021), como “Granted” e a faixa-título, além dos mais recentes singles “Apathy” e “Sleepless”, de 2023.

Formada por Karina Menascé (vocalista, pianista e violonista), Victor Anselmo (guitarrista), Pedro Fornari (guitarrista), William Moura (baixo) e Felipe Bonomo (baterista), a banda já foi vencedora do concurso “Girls Rock”, promovido pela rádio Kiss FM/Autoral Brasil, em parceria com a Top Link Music e a vereadora Aline Cardoso, em 2020.

Agradecimentos à Free Pass Entretenimento pela atenção e credenciamento da equipe da rádio.  

Banda:

Eicca Toppinen – violoncelo

Paavo Lötjönen – violoncelo

Perttu Kivilaakso – violoncelo

Mikko Sirén – bateria

Setlist:

Ashes of the Modern World

For Whom the Bell Tolls (Metallica)

Grace

Refuse/Resist (Sepultura)

I’m Not Jesus

Not Strong Enough

Rise

En Route to Mayhem

Shadowmaker

I Don’t Care

Nothing Else Matters (Metallica)

Inquisition Symphony (Sepultura)

Seek & Destroy (Metallica)

Bis

Farewell

Peikko

 

 

Fonte: Kiss FM – Redação